Artigos

Profª. Drª. Ana Carolina do Nascimento Alves

 

Página Inicial - Clinica Veterinária Jardim Botânico

Toxoplasmose, quem paga o pato é o gato.

 

 

A toxoplasmose é uma zoonose (doenças de animais transmissíveis ao homem) causada pelo protozoário Toxoplasma gondii encontrado nas fezes dos felinos. Essa doença tem distribuição mundial e alta prevalência no Brasil. Homens e outros animais também podem hospedar o parasita, e a transmissão ocorre pela ingestão de alimentos contaminados com fezes de felinos. Ocorre também a transmissão durante a gestação e amamentação, quando a mãe esta na fase aguda da doença, causando vários problemas de saúde aos fetos e recém nascidos.

 

Nos felinos o Toxoplasma realiza sua multiplicação que culmina com a eliminação de oocistos (ovinhos do toxoplasma) pelas fezes que contaminam o meio ambiente. No meio ambiente estes oocistos tornam-se infectantes após um período de tempo, dependendo das condições de umidade e temperatura, contaminando os solos, águas, vegetais, animais de produção e o homem. Algumas pesquisas relatam a presença de oocistos principalmente em locais sombreados e úmidos, assim quando levarmos nossos filhos a parquinhos de areia devemos procurar locais onde haja bastante incidência de luz solar, areia seca e que estes permaneçam fechados sem presença de gatos e cachorros, diminuindo o risco de contaminação. Por esse mesmo motivo, devemos trocar diariamente as caixas de areias dos gatos destinando de forma correta os resíduos e lavar bem as mãos após esse procedimento.

 

A infecção pela via oral, devido à falta de higiene e ao hábito de consumo de vegetais e produtos de origem animal, crus e mal cozidos é a principal forma de disseminação da doença para a população humana, sendo que produtos cárneos oriundos das espécies suína, ovina e caprina são uma das principais vias de transmissão.

 

Os gatos domésticos que são mantidos no interior de residências com o mínimo de contato com o meio externo, com alimentação controlada e oferta de ração ou alimentos que sofreram tratamento térmico adequado (acima de 67°C), não são em sua maioria portadores de Toxoplasmose. Para que o risco em gatos com maior acesso ao meio externo seja diminuído, podemos colocar coleiras com guizos, para que seja mais difícil a caça de roedores e pássaros, diminuindo ainda mais a probabilidade de contaminação. Mesmo assim, em muitos casos deve-se fazer junto ao seu médico veterinário um inquérito sorológico de seu gato de estimação, principalmente nos casos em que a proprietária esta gestante.

 

Os alimentos de origem animal, vegetais e legumes devem ser ingeridos somente após pasteurização, cozimento, assepsia adequada e as mãos devem ser sempre lavadas com sabão, água, álcool e desinfetantes.

 

A posse de gatos, como animais de estimação por mulheres grávidas e pessoas imunocomprometidas, é um assunto que gera muitas dúvidas e polemicas. Em um estudo realizado com mulheres grávidas em várias regiões da Europa, verificou-se que o contato com gatos não foi fator de risco para a infecção pelo T. gondii naqueles países (COOK et al, 2000), porem mulheres gestantes que possuem gatos de estimação devem procurar orientação de seus médicos obstetras e do médico veterinário.

 

Não existem impedimentos para que as famílias possuam gatos, desde que todas as medidas básicas de higiene sejam tomadas, garantindo saúde e felicidade a todos (animais e proprietários).

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now